IFRS lança Política de Ingresso Especial e Permanência do Estudante Indígena

Para estimular os indígenas a terem acesso a cursos técnicos e superiores, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) terá um processo seletivo especial para Indígenas. E para garantir a sua permanência e incentivar que esses estudantes concluam seus estudos com êxito, o IFRS desenvolverá ações de apoio pedagógico específicas para esses estudantes. Essas são algumas das iniciativas previstas na nova Política de Ingresso Especial e Permanência do Estudante Indígena do instituto, aprovada pelo Conselho Superior (Consup) da instituição neste mês.
O processo seletivo especial contará com duas vagas suplementares por curso. A seleção se dará por meio de uma redação, para os cursos de nível superior, e por sorteio, para os de nível técnico. A previsão é que o primeiro processo seletivo especial indígena ocorra para ingresso ainda no segundo semestre de 2019. Quanto às ações de permanência dos estudantes nos cursos, estão previstos também o uso de metodologias de interação que privilegiem o (re)conhecimento das características socioculturais e econômicas dos ingressantes indígenas, apoio acadêmico através de monitorias, tutorias e acompanhamento psico-pedagógico e o apoio financeiro aos estudantes através da assistência estudantil.
Em seu compromisso com a inclusão, o IFRS conta com diferentes núcleos de ações afirmativas em seus campi, incluindo Núcleos de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabis) – que atuam como um setor propositivo e consultivo em ações orientadas a questões etnicorraciais. De acordo com o pró-reitor de Ensino do IFRS, Lucas Coradini, a política foi uma demanda dos Neabis, que identificaram baixo número de estudantes indígenas no IFRS, o que decorre do fato de concorrerem em desvantagem com os demais candidatos, mesmo dentro das cotas étnico-raciais.
Entre as razões que podem ter influência nesses números estão as diferenças culturais, as distintas formas de socialização e escolarização nas comunidades e o isolamento social e geográfico a que, muitas vezes, estão submetidas as comunidades indígenas. “Com isso, compreende-se também que há uma dívida histórica do Estado brasileiro para com os povos indígenas no que diz respeito à garantia dos seus direitos constitucionais, dentre os quais, o direito à educação”, completa o pró-reitor.
Lucas destaca que a Política de Ingresso Indígena do IFRS avança para além das questões de acesso, ao voltar-se também para a permanência desses estudantes. Dessa forma, a instituição como um todo buscará promover um atendimento diferenciado aos estudantes indígenas.
Informações completas como: forma de ingresso, permanência e acompanhamento podem ser acessadas na Resolução 23/2019 – Política de Ingresso Especial e Permanência dos Estudantes Indígenas do IFRS.

Academic Vacancies Faculty of Medical Sciences
Monday April 01, 2019

The University of Sri Jayewardenepura invites applications from prospective candidates for vacancies as indicated below. ACADEMIC VACANCIES Faculty of Medical

Audiência Pública sobre cortes na educação ocorre na Assembleia Legislativa do Estado
Friday May 17, 2019

Com a pauta “Cortes Orçamentários do MEC na Educação Federal”, a Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia da Assembleia

The post Audiência Pública sobre cortes na educação ocorre na Assembleia Legislativa do Estado appeared first on Dua xe 3D.

The post Academic Vacancies Faculty of Medical Sciences appeared first on Dua xe 3D.